Buscar
  • Danillo Bettoni

Projetos Complementares são necessários?

Muitas vezes nos deparamos com esse tipo de questionamento de nossos clientes uns por acharem que irão economizar em não executá-los e outros por falta de conhecimento ou orientação de outros profissionais.


Mas antes de respondermos a pergunta se os projetos complementares são efetivamente necessários em uma obra, vamos explicar de forma resumida e simplificada o que são esses projetos e para que servem.


Vamos citar abaixo alguns exemplos de Projetos Complementares:

  • Projeto Fundação;

  • Projeto Estrutural;

  • Projeto de Alvenaria Estrutural;

  • Projeto Elétrico;

  • Projeto Hidrossanitário;

  • Projeto de Telhado;

  • Projeto Estrutural de Piscina;

  • Projeto de Rede e Dados.

Dos que foram citados acima os mais importantes, os quais não podem deixar de existir em uma obra com toda certeza seriam os projetos estruturais, projeto elétrico e projeto hidrossanitário.


Projeto Estrutural

Antes de explanarmos sobre esses projetos vamos deixar claro quais são os projetos considerados estruturais, são eles:

  • Projeto Fundação;

  • Projeto Estrutural;

  • Projeto de Alvenaria Estrutural;

  • Projeto Estrutural de Piscina;

Um projeto estrutural é um projeto complementar ao arquitetônico cujo foco é o dimensionamento e detalhamento dos elementos estruturais (pilares, vigas, lajes, sapatas e etc).​


Nessa fase de dimensionamento, o engenheiro, auxiliado por normas e softwares dedicados, leva em consideração diversas condições para o dimensionamento de todos os elementos, dentre elas as mais importantes:​

  • resistência do solo (Para isso se faz necessária a sondagem do solo);

  • resistência do concreto;

  • clima;

  • ação do vento;

  • cargas permanentes;

  • cargas acidentais.​

Após a fase de dimensionamento, confere-se os cálculos para evitar peças superdimensionadas e então o engenheiro pode realizar o detalhamento de todos os elementos.


Em outras palavras esses são os projetos que irão garantir que a sua casa não vai afundar no solo, não vai ter problemas de rachaduras, trincas ou de cair a sua laje, simples assim.

Projeto Elétrico

Um Projeto Elétrico é a previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos pontos de utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores, divisão em circuitos, seção dos condutores, dispositivos de manobra, carga de cada circuito, carga total, etc.

Na maioria das instalações elétricas de uma residência, entram três fios que vem do poste para a caixa de luz e passam pelo relógio medidor, dois desses fios são chamados de vivos ou fase e o outro é chamado de neutro. Em seguida, esses fios passam pela chave geral que serve como interruptor de toda a instalação.


Resumindo o projeto elétrico é aquele que vai garantir que a sua casa não pegue fogo, que seus equipamentos elétricos ou eletrônicos não queimem, que durante seu banho o chuveiro não faça cair o disjuntor.

Projeto Hidrossanitário

O projeto hidráulico ou hidrossanitário, indica a posição e o diâmetro das tubulações, caixa de inspeção e demais componentes do sistema hidráulico, seguindo as normas aplicáveis, o que aliado ao uso de bons materiais e correta instalação, evita erros de montagem, economizando tempo e dinheiro, garantindo um funcionamento adequado por muito tempo.

Nele são detalhados os sistemas referentes as rede de água fria, água quente, esgoto, águas pluviais e reuso de água.


Enfim a existência desse projeto não garante a segurança de sua família assim como os anteriores, mas por outro lado ele garante o conforto, provendo um banho com mais pressão de água, garante que não falte água, evita mal cheiro nos ralos do esgoto entre outros benefícios.

Agora pergunto a vocês, faz sentido investir nesses projetos? Ainda não se convenceu? Então vou dar mais um motivo para que mudem de ideia.


Não sei se você já fez algum tipo de obra ou conhece alguém que já passou por essa experiência, seja uma reforma, ampliação ou até mesmo uma obra nova, mas por via de regra você cliente deve ter perguntado para a pessoa responsável quais seriam os materiais necessários e ela te passou uma lista completa dos itens que utilizaria naquele trabalho. Você muito satisfeito e contente foi nas lojas especializadas e efetuou a compra de toda lista passada.

Quando chegou no caixa, na hora de fazer a soma de tudo quase caiu de costas com o valor, mas já que solicitaram todo aquele material, vamos comprar!

Muito bem, a obra foi 100% executada pelo responsável, porém você se deu conta de que quase metade dos itens que você adquiriu ficou sem utilizar, isso por que não houve um planejamento anterior a compra dos materiais, mas sim uma aquisição com base na "experiência" do profissional, em outras palavras, quanto maior a obra maiores serão as compras, maiores serão as sobras ou até mesmo a falta de algum produto necessário.


Agora quando falamos em estrutura da casa isso se torna bem mais crítico, pois o executor pode colocar material a mais (gerando gastos desnecessários) ou pior a menos e em muitos casos só derrubando a casa para consertar.


E agora consegui te convencer que os projetos complementares não são apenas gastos mas sim investimento, garantia de qualidade no serviço executado e economia de material? Espero que sim!


Meu conselho é sempre exigir do responsável pela sua obra todos esses projetos antes mesmo de iniciarem os trabalhos!

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2021 Todos direitos reservados a Friendly Home Engenharia e Construção Civil

  • whatsapp
  • Facebook
  • Grey Instagram Ícone